17 de outubro de 2009

.Pesquisa de psicologia do desenvolvimento
Gestação e Influências pré-natais no desenvolvimento


2009

Ivaneide Bezerra daSilva
Psicologia do desenvolvimento

As questões que envolvem o desenvolvimento embrionário, fetal e assim subsequentemente, são muitas. As dúvidas e questionamentos do ser humano, na busca de suas origens genéticas, do desenvolvimento e causas de problemas existentes, respostas de como e quando ocorrem as interferências por meio de fatores externos que envolvem a futura mãe.
Antes de Freud, o feto não era visto como um ser dotado de emoções, portanto o que ocorria no meio que o cercava não interferia em seu desenvolvimento. Freud trás esta verdade, um ser que sente o que se passa a sua volta, com sexualidade e que os acontecimentos do meio que estejam inseridos, interferem e afetam seu desenvolvimento.

[...] Nos anos 60, com o advento das tecnologias em obstetrícia, foi possível estudar o bebê no útero, e tornou-se incontestável a evidencia fisiológica de que o feto ouve, tem sensações, faz experimentações, reage ao estresse, defende-se, tem medo, sente-se vivo. Portanto o bebê é um ser emocional, intelectual e fisicamente mais capacitado do que imaginávamos.< http://www.educacaoonline.pro.br/index.php?option=com_content&view=article&catid=10%3Apsicopedagogia&id=167%3Aa-pre-historia-do-desenvolvimento-emocional-da-crianca&Itemid=21>


Conhecer o desenvolvimento humano é conhecer-se melhor e entender o outro como um ser com particularidades, porém igual a nós em muitos aspectos.
E o meio, interfere no desenvolvimento gestacional? De que maneira?



1. O início
Um olhar, um encontro, um beijo. [...] Duas células e onde não havia nada, agora cresce um ser humano minúsculo, protegido e abrigado dentro do útero materno. Juntos mãe e filho compartilham essa audicéia de vida, acalanto e mudanças rápidas. Uma aventura magnífica, chamada gravidez. [...](parte transcrita do vídeo guia completo da gravidez-1)
O espermatozóide que fecundará o óvulo compete com centenas de bilhões, ou seja, um ser humano já inicia sua existência competindo e ganhando. Planejada ou não a gravidez é uma realidade depois da fecundação.
O embrião começa a se desenvolver e os aspectos psicológicos já começam a aparecer na futura mãe [...]A mulher pode captar através de sonhos ou “intuições” que está grávida. É a partir desse momento que se inicia a relação mãe-filho.( Ferreira ,Cristiane Maluhy Gebara. site médicos- Aspectos psicológicos na gravidez).
E é no 1º trimestre também que surgem alguns sintomas ou características como, hipersonia, náuseas e vômitos, desejos e aversões, aumento de apetite, as causas podem ser muitas desde alteração hormonal até tensão emocional.

2.Interferências no desenvolvimento
O meio e as atitudes da mãe e de todos que a cercam interferem no desenvolvimento gestacional sim. Segundo o documentário do Discovery Chanel e os artigos sugeridos, existe sim uma ligação entre o meio e o desenvolvimento. Questões como tabagismo, que é o caso do artigo do geocities em que eles citam pesquisas e números comprovando as conseqüências do consumo na gestação, incluindo complicações ao feto e a gestante.

Quadro 1: Principais complicações à gestação e ao feto relacionadas ao consumo de tabaco.
Gestação Feto


Parto prematuro
Restrição ao crescimento intra-uterino
Ruptura prematura das membranas
Descolamento da placenta
Abortamento espontâneo
Placenta prévia

Baixo peso ao nascer
Redução da circunferência craniana
Síndrome da morte súbita infantil
Asma
Infecções respiratórias
Redução do Q.I.
Distúrbios do comportamento

Já o artigo do site da UOL - guia do bebê, assinada pelo Rodrigues, Bruno, enfoca mais o uso de bebidas alcoólicas e as interferências causadas por elas no desenvolvimento fetal, no parto e na saúde da mãe.

[...]O aborto espontâneo e o trabalho de parto prematuro, assim como outras complicações da gravidez, também estão relacionados com o uso do álcool, mesmo em quantidades menores. O risco de aborto espontâneo quase dobra quando a gestante consome álcool.
Os prejuízos causados no feto pelo álcool podem causar desde gestos desajeitados até problemas de comportamento, falta de crescimento, rosto desfigurado e retardo mental, dependendo da fase da gravidez e também da quantidade de álcool ingerido.
As interferências psicológicas são citadas pelo site educação on-line:
Agora vamos levar em consideração as emoções, os sentimentos da mãe e não somente descargas hormonais. Sentimentos como amor, rejeição, etc... podem marcar a vida do bebê. As emoções não envolvem somente sensações, mas a capacidade de dar um sentido a elas, o que se torna possível por volta do 6o. e 7o. mês, quando o feto começa a desenvolver uma consciência de si mesmo, chamamos de ego pré-natal[...] A medida que o bebê se desenvolve e é capaz de sentir e lembrar, ou seja , ser marcado pela experiência, seu ego está se formando e ao longo deste desenvolvimento vai sendo capaz de decodificar as mensagens maternas. As emoções desagradáveis da mãe, como raiva, ansiedade, depressão, etc.. dentro de certos limites, contribuem para o desenvolvimento do bebê porque perturbam seu isolamento, propiciando uma consciência de si mesmo. As mudanças emocionais exigem do bebê uma reação, o força a criar mecanismos de defesas contribuindo para a percepção de si mesmo[...] (Almeida,Marina S.Rodrigues- A pré-história do desenvolvimento emocional da criança .Educação on-line)

Conforme textos pesquisados as interferências são muitas e os aliados a prevenção são: a informação e a conscientização, medidas estas que podem combater as más formações congênitas, partos prematuros, mortes de parturientes e neonatais, abortos espontâneos e outros danos.


Conclusão

De que forma estas informações auxiliam na formação do educador?
Tanto os vídeos, quanto os artigos são interessantíssimos e auxilia na formação do educador, saber dos passos que antecedem o nascimento é ótimo, mais, visualizá-los no vídeo nos trás uma perspectiva mais real, nos fazendo sentir parte, com fragilidades e forças.
Cientificamente falando, passamos a entender algumas dificuldades de desenvolvimento, aprendizagem, socialização e motricidade de algumas crianças, identificá-las e relacioná-las a aspectos ou interferências gestacionais.
Socialmente e pedagogicamente os dados podem ser úteis no processo de conscientização dos educandos no tocante a prevenções do não uso de drogas, álcool e tabaco.
Por fim, informação nunca é demais estamos em formação contínua.

Bibliografia































Nenhum comentário:

Loading...

Pesquisar este blog